×

Utilize o teclado para navegar, com Ctrl + nº da tecla

Ctrl + 1 (menu) Ctrl + 2 (conteúdo) Ctrl+ 3 (busca) Ctrl + 4 (mapa) Ctrl + 0 (acessibilidade)

A +

A -

Padrão


Original

Contraste

Lixo orgânico pode virar adubo, você sabia?

Data de publicação: 26 de janeiro de 2021


Neste dia 26/01, Dia Mundial da Educação Ambiental,  a Prefeitura Municipal de Mostardas, através da Secretaria Municipal de Meio Ambiente propõe a redução do lixo domiciliar, com a adoção de práticas sustentáveis, como a reciclagem de resíduos e o reaproveitamento.

Veja a seguir como transformar seu lixo orgânico em adubo!

O processo de compostagem, que é simples e pode ser feito em casa, beneficia o próprio morador, a cidade e o meio ambiente, pois diminui drasticamente a quantidade de lixo enviado ao aterro.

As sobras inadequadas ao consumo, como cascas de ovos, frutas estragadas e borra de café, podem ir para a compostagem, gerando uma poderosa fonte de nutrientes para jardins, hortas, vasos e floreiras. Outros resíduos, como erva de chimarrão, restos de cortes e palha, também podem se transformar em composto orgânico.

É muito fácil e totalmente possível fazer a compostagem doméstica, mesmo para quem mora em casa sem quintal, neste caso, o processo deve utilizar caixas, vasos, potes ou garrafas pets e a prioridade são os resíduos como folhas e ervas, deve-se evitar as gorduras animais, pois são de difícil decomposição, como também restos de carne e alimentos com sal, por atrair insetos e exalar mau cheiro.

Há três maneiras de realizar o processo: colocando os resíduos em pilhas, enterrados ou em recipientes.

Compostagem em sistema de pilhas:

  • O material orgânico deve ser amontoado até formar uma pilha de aproximadamente 2 metros de comprimento, 1,5 metro de largura e 1 metro de altura, alternando camadas de 20 centímetros de materiais secos com materiais mais ricos em nitrogênio (folhas, restos de cozinha).
  • Ao montar as camadas vá molhando cada uma delas, mas sem encharcar.
  • Para enriquecer o composto você pode utilizar, entre as camadas, materiais como: cinza (pouca quantidade), terra fértil, fosfato de rocha, calcário, finamente polvilhados.
  • Proteja a pilha com palha e revire-a a cada 15 dias, começando na segunda semana.
  • O composto ficará pronto para uso após um período de 90 a 120 dias.

Compostagem em sistema de enterro:

  • Deve ser aberto um buraco no chão, em local sombreado, onde os resíduos orgânicos serão depositados diariamente. A dimensão e a quantidade de buracos vão depender da quantidade de material orgânico disponível e da área de plantio. Recomenda-se, para hortas e jardins no quintal, a abertura de dois ou mais buracos, podendo-se utilizar medidas aproximadas de 1 metro de comprimento, 0,50 metro de largura e 0,50 metro de profundidade.
  • É importante cobrir cada camada de material orgânico com uma fina porção de solo ou de palha para evitar o sol direto e para não atrair animais.
  • Pode-se misturar esterco, pois acelera a fermentação e enriquece o adubo.
  • O adubo orgânico somente deve ser utilizado na horta e vasos quando este estiver totalmente curtido, após um prazo de 90 a 120 dias.
  • Quando não há disponibilidade de espaço ao ar livre para formação de pilha ou enterro dos resíduos, os mesmos podem ser dispostos em recipientes, para a fabricação do composto orgânico.
  • De preferência, reaproveite baldes de plástico velho, caixas de madeira, galões de água, caixas d’água quebradas ou potes de sorvete.
  • Basta depositar o resíduo orgânico no local, tendo sempre a preocupação de manter o recipiente tampado, para evitar insetos e mau cheiro.
  • Faça furos no fundo do recipiente para a saída do chorume (líquido eliminado pelo material orgânico em decomposição).
  • Se o recipiente estiver sobre uma superfície impermeável, coloque uma vasilha (bacia rasa) no fundo para recolher o chorume.

#Apropostaéreduzir

© Copyright 2021 - Direitos reservados à Prefeitura de Mostardas/RS

topo